Receba atualizações por

Abono Emergencial de Natal de R$ 800 é golpe, alerta Kaspersky

Ataque busca ludibriar usuários a clicar em links que podem levá-los a contratar serviços premium sem seu consentimento.


Uma falsa notícia que circula nas redes sociais sobre um suposto Abono Emergencial de Natal pode levar internautas a uma surpresa bem desagradável: trata-se de um golpe que tenta levar o usuário a clicar em links maliciosos, por meio de mensagens espalhadas pelo WhatsApp. O resultado pode levar a contratar serviços premium sem seu consentimento, ou ainda ter seus dados pessoais ou financeiros roubados, segundo alerta a empresa internacional de segurança virtual Kaspersky Lab.

Abono Emergencial de Natal de R$ 800 é golpe, alerta Kaspersky

Segundo a mensagem, beneficiários do Auxílio Emergencial, Bolsa-Família e pensionistas teriam direito a um abono de R$ 800 que seriam liberados pelo governo federal, e, para ter direito ao suposto benefício, os usuários precisam clicar em um link que redireciona a uma página parecida com o app de um banco, onde ele deve fornecer dados privados, como nome e CPF. O golpe acontece quando uma confirmação é feita por meio de SMS, mensagem de texto, como explica o analista de segurança da Kaspersky Lab, Fabio Assolini.

Ao realizar a suposta confirmação, o usuário estará contratando um serviço pago de telefonia móvel sem saber. A cobrança será feita em sua próxima fatura, e muitos acabam pagando sem perceber. Isso acontece porque os fraudadores estão criando cadastros em plataformas de serviços de valor agregado de operadores e, assim, utilizando a estrutura de cobrança dessas empresas para obter ganhos financeiros

A Kaspersky Lab dá algumas dicas para você não se tornar vítima desse e de outros golpes:

  • Suspeite sempre de links recebidos por e-mails, SMS ou mensagens de WhatsApp, principalmente quando o endereço parece suspeito ou estranho;
  • Sempre verifique o endereço do site para onde foi redirecionado, endereço do link e o e-mail do remetente para garantir que são genuínos antes de clicar, além de verificar se o nome do link na mensagem não aponta para outro hyperlink;
  • Verifique se a notícia é verdadeira acessando o site oficial da empresa ou organização - ou os perfis nas redes sociais;
  • Se não tiver certeza de que o site da empresa é real e seguro, não insira informações pessoais;
  • Use soluções de segurança confiáveis para ter uma proteção em tempo real para quaisquer tipos de ameaças.

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça o debate. Siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, no Twitter, no Pinterest, no Instagram, LinkedIn e YouTube.

Continua após a publicidade

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais

Ouça o podcast Em Resumo

Gostou do conteúdo? Então deixe sua opinião sobre o assunto. Seu comentário é muito importante para enriquecer o debate.

Tecnologia do Blogger.