Tentativas de golpes aumentaram antes da Black Friday, diz Kaspersky

Fraudes no período que antecede Black Friday cresceram quase 10%; veja dicas para comprar com segurança.

Os pesquisadores do Kaspersky Lab observaram aumento de 9% nas fraudes neste período que antecede a Black Friday: de 29 de outubro a 18 de novembro, foram detectados 196 ataques de phishing por minuto na América Latina, a tática mais usada para roubar credenciais (logins e senhas) e clonar cartões de crédito das vítimas para acessar serviços on-line, como o comércio eletrônico (e-commerce).

Tentativas de golpes aumentam antes da Black Friday, alerta Kaspersky

As promoções de Black Friday costumam começar algumas semanas antes, mas 2020 está sendo único em diversos aspectos: devido aos impactos da pandemia de Covid-19 no varejo, muitas lojas expandiram as ofertas durante o mês de novembro, ressalta o Kaspersky Lab. Tal atividade poderia aumentar o interesse dos cibercriminosos, mas não é isso que os experts do laboratório identificaram ao analisar as detecções de phishing na região. De acordo com Fabio Assolini, analista sênior do time de investigação e análise do Global Research & Analysis Team (GReAT), foram bloqueadas 5,9 milhões de tentativas de acesso a sites de phishing na América Latina nesse período, uma média de 196 detecções por minuto. Em 2019, este número foi de 5,4 milhões no mesmo período, aumento de 9% na comparação ano-a-ano.

A Black Friday é uma data muito especial. Já é tradição em muitos países latinos e não surpreende crescimento nos ataques. Mas é curioso haver uma tendência de leve queda nas atividades maliciosas. Revisando as detecções por país, somente na Argentina houve forte aumento das tentativas de golpe (25%). Acredito que este contexto esteja ligado aos impactos da pandemia nos países e em como o cibercrime reagiu, priorizando os ataques contra empresas ou nos beneficiários dos auxílios emergenciais devido à pandemia

Kaspersky Lab reuniu algumas dicas para você comprar com segurança nesta Black Friday:

  • Verifique o endereço (URL) antes de clicar no link: às vezes pode ser diferente do que está visível. Em caso afirmativo, acesse a página da oferta da loja digitando diretamente o endereço correto;
  • Faça compras nas lojas oficiais: caso haja dúvida sobre a reputação da loja, faça uma busca nos serviços de reclamação;
  • Conte com uma solução de segurança com tecnologias anti-phishing, que notificará se você estiver tentando visitar uma página fraudulenta.
  • Usar senhas únicas para cada site ou serviço: caso você use apenas uma senha, se ela for roubada, todos os serviços estarão comprometidos.

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça o debate. Siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, no Twitter, no Pinterest, no Instagram, LinkedIn e YouTube.

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais