Ads Top

Um horizonte no céu dividido pela poeira da Via Láctea

Começa após a publicidade

Esta fotografia, tirada pelo embaixador fotográfico do Observatório Europeu do Sul (ESO), Petr Horálek, olha a oeste do Observatório Paranal, no Chile.

Um horizonte no céu dividido pela poeira da Via Láctea

O objeto brilhante no centro do quadro é a Lua - ligeiramente à sua esquerda superior está o planeta Saturno, enquanto o rochoso Mercúrio fica na parte inferior esquerda. Saturno e Mercúrio em conjunção podem ser difíceis de ver a olho nu em algumas latitudes, mas esta imagem de tirar o fôlego os captura lindamente, apesar da luz relativamente brilhante da Lua próxima.

A poeirenta Via Láctea parece dividir o céu horizontalmente, com uma visão noturna repleta de estrelas acima e os últimos sinais do Sol persistindo abaixo. Muitas nebulosas famosas são visíveis através desta cortina cósmica, como a Nebulosa da Lagoa (Messier 8, NGC 6523), a Nebulosa Pata de Gato (NGC 6334) e a Nebulosa Trífida (Messier 20, NGC 6514).

Os telescópios individuais nesta imagem juntos formam o Very Large Telescope (VLT) do ESO, o observatório óptico e infravermelho mais avançado do mundo. O VLT consiste em quatro grandes telescópios unitários, cada um com um espelho de 8,2 metros de largura, e quatro telescópios auxiliares menores, com espelhos de 1,8 metros de diâmetro.

Foto: P. Horálek/ESO

Continua após a publicidade
Ouça o podcast Em Resumo

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.