Cores da ‘Galáxia Perdida’

Aparência nebulosa levou astrônomo amador Leland S. Copeland a apelidar a NGC 4535 assim, na Década de 1950.

Localizada na constelação de Virgem, a cerca de 50 milhões de anos-luz da Terra, a NGC 4535 é realmente um espetáculo impressionante de se ver: apesar da incrível qualidade desta imagem, tirada pelo telescópio espacial Hubble, da Nasa e ESA, a NGC 4535 tem uma aparência nebulosa, um tanto fantasmagórica, quando vista de um telescópio menor. Isso levou o astrônomo amador Leland S. Copeland a apelidar NGC 4535 de 'Galáxia Perdida' na Década de 1950.

Cores da ‘Galáxia Perdida’

As cores brilhantes nesta imagem não são apenas bonitas de se olhar, pois elas realmente nos falam sobre a população de estrelas dentro desta galáxia espiral barrada . As cores azuis brilhantes, vistas aninhadas entre os longos braços espirais da NGC 4535, indicam a presença de um número maior de estrelas mais jovens e mais quentes. Em contraste, os tons mais amarelos da protuberância desta galáxia sugerem que esta área central é o lar de estrelas que são mais velhas e frias. 

Esta galáxia foi estudada como parte da pesquisa Phangs, que visa esclarecer muitas das ligações entre nuvens de gás frio, formação de estrelas e a forma geral e outras propriedades das galáxias. Em 11 de janeiro de 2021, o primeiro lançamento da Coleção Phangs-HST foi disponibilizado ao público. 

Foto: ESA/Hubble e Nasa, J. Lee e equipe Phangs-HST

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça o debate. Siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, no Twitter, no Pinterest, no Instagram, LinkedIn e YouTube.

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais