Ads Top

Gasolina e etanol: preço avança acima dos 2% e ultrapassa patamar pré-pandemia

Janeiro encerra-se com 8º aumento consecutivo para combustíveis; diferença de preços para etanol entre regiões brasileiras chega a 11%, aponta IPTL.


De acordo com o último Índice de Preços Ticket Log (IPTL) - levantado com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados da Ticket Log, marca de gestão de frotas da Edenred Brasil -, a gasolina e o etanol apresentaram aumento de 2,56% e 2,36%, respectivamente, em janeiro de 2021, com médias que já ultrapassam o período pré-pandemia de Covid-19 em 2020. O primeiro mês de 2021 também foi marcado pela oitava alta consecutiva para os combustíveis e variações de preços que se destacam entre as regiões brasileiras.

Preço da gasolina e do etanol avança acima dos 2% e ultrapassa patamar pré-pandemia

No fechamento de janeiro, a média nacional nas bombas para a gasolina foi de R$ 4,816, valor que já é maior do que o registrado nos meses de fevereiro e março de 2020, quando o combustível apresentou médias de R$ 4,693 e R$ 4,618. Com o etanol não foi diferente, vendido no primeiro mês do ano à média de R$ 3,779, ultrapassa o maior preço registrado para o combustível do ano anterior, que foi de R$ 3,757, no mês de fevereiro. 

No comparativo das regiões brasileiras, a gasolina mais cara foi encontrada na região Nordeste, comercializada a R$ 4,872, uma diferença que chega a 6%, quando comparada à média da região Sul que teve o litro a R$ 4,614. Em relação ao etanol, a região Norte lidera o ranking do litro mais caro, comercializado a R$ 3,956 e a região Centro-Oeste com as menores médias, o litro vendido à R$ 3,535.

Douglas Pina, head de mercado urbano da Edenred Brasil, destaca que os valores impactam até o comportamento do consumidor.

Analisando o comportamento dos preços neste início de ano, chama atenção a variação de valores do etanol dentro do território brasileiro, que chega a apresentar uma diferença de 11%. Aspecto que também se refletiu no bolso dos motoristas na hora de escolher a melhor relação custo-benefício, pois considerando a margem de vantagem 70/30, a gasolina foi a opção mais econômica em 20 Estados e também no Distrito Federal

Em janeiro, a gasolina não registrou baixa no preço médio em nenhum Estado, e a maior alta foi registrada no Amazonas de 4,59%, com o litro comercializado a R$ 4,537, ante os R$ 4,338 de dezembro. O IPTL também revela que na Paraíba o etanol avançou 5,36%, a maior alta de todo o território nacional, e em três Estados o litro do combustível registrou leve recuo, sendo o mais expressivo no Pará de 0,62%, no comparativo com o fechamento de dezembro de 2020.

Foto: Agência Brasil (acervo)

Continua após a publicidade
Ouça o podcast Em Resumo

Gostou do conteúdo? Então deixe sua opinião sobre o assunto. Seu comentário é muito importante para enriquecer o debate.

Tecnologia do Blogger.