A Garota Invisível: comédia teen não foge do clichê estereotipado

Explorando o ‘novo normal’, longa-metragem não consegue escapar do lugar-comum, parecendo um enlatado tipo exportação.

Gravado em plena pandemia de Covid-19A Garota Invisível (2021), disponível no catálogo da Netflix, tem o grande mérito de ser uma produção que não explora o assunto, mas que, sim, deixa muito claro o tal 'novo normal': com cenas de aulas remotas e conversas por vídeo em demasia entre o elenco e até um primeiro encontro que nunca aconteceu - ou, pelo menos, ninguém viu -, A Garota Invisível impõe um clima de 'algo de errado não está certo'.

A Garota Invisível: comédia romântica adolescente não foge do clichê estereotipado

Outro diferencial da comédia romântica adolescente é trilha original, grande parte - ou toda - composta e interpretada pelos atores que dão vida aos personagens.

E para por aí: A Garota Invisível não consegue escapar do lugar-comum, repetindo diversos clichês do segmento 'meloso' da Netflix. O longa-metragem parece até enlatado tipo exportação.

Nele, Ariana (interpretada por Sophia Valverde) é a 'patinho-feio': ganha notoriedade com a turma da escola quando, desastradamente, 'se declara' para o afamado Khaleb (Guilherme Brumatti), que pode ser, sem sombra de dúvida, enquadrado como 'boy-lixo'. Como parte de uma aposta e para se dar bem nas provas, Khaleb chama Ariana para sair. O casal passa a ter que enfrentar as maldades de Diana (Mharessa Fernanda - que, de fato, brilha como vilã), ex-namorada de Khaleb. À margem de tudo isso, está Téo (Matheus Ueta), o melhor amigo de Ariana, que não sai da friendzone.

Em resumo, A Garota Invisível repete o enredo de 99,99% dos outros do gênero, mas com a excentricidade de ser um filme nacional e, mesmo assim, parecer dublado em português brasileiro, com algumas atuações bastante engessadas.

A grande surpresa no elenco é garantida pelas irmãs - na ficção e na vida real - Paty (Bia Jordão) e Laurinha (Clarinha Jordão), que têm uma grande virada dentro da trama e garantem grande parte das risadas.

Apostando exclusivamente na trivialidade, A Garota Invisível não explora o essencial: Ariana escreve tudo em um diário, com o sonho de virar uma grande escritora. O que aconteceu em sua novela particular? Teve um desfecho diferente, um 'final feliz'? Ela lançou o livro A Garota Invisível e fez muito sucesso na vida? Não há respostas.

O longa simplesmente não consegue costurar o roteiro à proposta oferecida ao espectador, ou aguçar a curiosidade ou desejo por uma continuação que, sinceramente, é difícil de acontecer.

Foto: Netflix

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça o debate. Siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, no Twitter, no Pinterest, no Instagram, LinkedIn e YouTube.

Continua após a publicidade

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais

Um comentário

Parceiros

GeraLinks - Agregador de links Uêba - Os Melhores Links Vagando na Net
Tecnologia do Blogger.