Região Metropolitana: Paço do Lumiar teve maior taxa de mortalidade por Covid-19

Na cidade, taxa de letalidade chegou a 13,5%; São Luís teve maior número de casos e mortes em um ano da pandemia de Covid-19 no Maranhão.

Neste mês, completa um ano da primeira confirmação de um caso de Covid-19 no Maranhão: desde o dia 19 de março de 2020, já são quase 220 mil casos no Estado, com mais de 5 mil mortes. No Maranhão, a letalidade passa dos 23%, com média de 15 mortes por dia. Os dados são do Painel Covid-19, da Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão (SES-MA).

Na Região Metropolitana, Covid-19 foi proporcionalmente mais letal em Paço do Lumiar

Na Região Metropolitana, e em todo o Estado, a doença matou mais na capital: 1,4 mil mortes. São Luís registra o maior número de casos confirmados: mais de 30 mil. Mas em Paço do Lumiar - sexta cidade mais populosa do Estado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - e em São José de Ribamar - terceiro mais populosa -, a Covid-19, proporcionalmente, foi mais letal: 13,5% e 8,7%, respectivamente.

No mapeamento por bairros, o 'campeão' de casos foi o Turu, com mais de 900 registrados; seguido pelo Renascença, com mais de 600; Cidade Operária; região do Cohatrac I, II, III, IV, Primavera-Cohatrac; e Centro, com quase 600 cada um.

No Estado, o novo coronavírus (Sars-CoV-2) infectou mais mulheres (56%); mas foram os homens que morreram mais (60%) por complicações da Covid-19, com idade média de 68 anos - a grande parte (84%) com algum tipo de comorbidade.

A pandemia de Covid-19 no interior do Maranhão

Imperatriz, segunda maior cidade do Maranhão, registrou 10,6 mil casos, e 450 mortes, com taxa de letalidade de pouco mais de 4%. Balsas (7,5 mil), Caxias (6,3 mil), Timon (5,5 mil) e Santa Inês (5,2 mil) foram as únicas cidades com registros superiores a 5 mil casos confirmados da doença, ainda que com taxas baixas de letalidade.

Na Região Metropolitana, Covid-19 foi proporcionalmente mais letal em Paço do Lumiar

Já Amapá do Maranhão (39 casos), Cedral (167), Nova Iorque (69), Presidente Juscelino (29), Santa Filomena do Maranhão (50) e São Francisco do Brejão (426) foram os únicos municípios maranhenses que não registraram um caso sequer de morte por Covid-19.

Nova onda exige reforço na prevenção

A vacinação segue em ritmo lento - até o início de março, foram aplicadas quase 200 mil doses -, e a situação é preocupante: uma nova onda, ainda mais forte que a primeira fase da pandemia; a confirmação da circulação de uma nova variante, a P.1 - identificada originalmente no Amazonas -, mais contagiosa; e a rede de saúde - pública e privada - colapsada, sem leitos disponíveis para novos casos.

O cenário pede intensificação de medidas de prevenção, muitas vezes negligenciadas pela população. As formas de prevenção da Covid-19, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), são:

  • Lavar as mãos com frequência, com sabão e água ou álcool em gel;
  • Manter uma distância segura de pessoas que estiverem tossindo ou espirrando;
  • Uso de máscara quando não for possível manter o distanciamento físico;
  • Não tocar em olhos, nariz ou boca;
  • Cobrir o nariz e a boca com o braço dobrado ou um lenço ao tossir ou espirrar;
  • Ficar em casa se você se sentir indisposto;
  • Procurar atendimento médico se tiver febre, tosse e dificuldade para respirar.

Fotos: Niaid, via Fotos Públicas

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça o debate. Siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, no Twitter, no Pinterest, no Instagram, LinkedIn e YouTube.

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais