Névoa roxa: observatório registra região HII na constelação de Puppis

Regiões HII são criadas quando estrelas jovens e massivas liberam energia ultravioleta suficiente para ionizar nuvens de gás ao redor.

Este registro mostra DG121, uma região HII - uma nuvem de hidrogênio ionizado -, localizada na constelação de Puppis (Popa).

As regiões HII, uma variação de nebulosas de emissão, são criadas quando estrelas jovens e massivas liberam energia ultravioleta suficiente para ionizar as nuvens de gás ao redor. Essas regiões tendem a ter estruturas irregulares e carecem de limites nítidos, o que lhes dá uma aparência nebulosa, embora fotogênica.

Névoa roxa: observatório registra região HII na constelação de Puppis

A estrela mais brilhante na região DG121, vista perto do centro da foto, é HD 60068.

Esta imagem espetacular foi obtida com o instrumento FORS2 do Very Large Telescope (VLT), do Observatório Europeu do Sul (ESO), no deserto de Atacama, no Chile. Este instrumento foi descrito pelos astrônomos como o canivete suíço dos instrumentos do Paranal, devido à sua capacidade de estudar muitos objetos astronômicos diferentes de muitas maneiras diferentes.

Foto: ESO

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça o debate. Siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, no Twitter, no Pinterest, no Instagram, LinkedIn e YouTube.

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais