Indústria de motorhomes vê alta nas vendas e mudança no perfil de viajantes

Antes liderado por aposentados e profissionais liberais, perfil, agora, é de casais e pessoas mais novas, mostra levantamento.

A pandemia de covid mudou o comportamento de todos nós, e, para os viajantes, trouxe um grande problema: o impedimento de desbravar o mundo. Mesmo num cenário tão difícil para todo mundo, a indústria de motorhomes - verdadeiras casas sobre rodas, confortáveis e equipadas com cama, banheiro, chuveiro, geladeira, etc. - viu um salto nas vendas e uma mudança no perfil de viajantes.

Um levantamento feito pela Estrella Mobil Motorhomes, sediada em Santa Branca (SP), revelou um aumento de 80% nas vendas no último trimestre. Entre as razões, está o home office definitivo adotado por muitas empresas. "As pessoas perceberam que, hoje, é possível aliar o trabalho a viagens, mesmo durante a semana. Além disso, para quem tem o costume de viajar e se deparou com a situação de ter que ficar em casa o motorhome representa uma nova maneira de cair na estrada com segurança sem perder o conforto", afirma Julio Lemos, fundador da empresa.

Indústria de motorhomes vê alta nas vendas e mudança no perfil de viajantes

O estudo revelou ainda que o ranking, antes liderado por aposentados e profissionais liberais (80%), deu lugar a casais e pessoas mais novas (aumento de 20% para 35%), que buscam liberdade para mudar de rota durante a viagem. "A ideia do motorhome ser adquirido por pessoas maduras e aposentados (ou recém-aposentados) ficou no passado. Hoje temos novos perfis de consumidores, como aqueles que trabalham em esquema home office e conseguem trabalhar na estrada e pessoas mais novas, entre 30 e 40 anos, que estão conseguindo comprar os veículos e andar com a família, com os amigos e não querem ficar em casa por conta da pandemia. Aliás, o segmento já vinha se popularizando antes da pandemia", explica Lemos.

Indústria de motorhomes vê alta nas vendas e mudança no perfil de viajantes

Há quem até tenha largado tudo para viver esse novo estilo de vida. É o caso do casal Wellington Waltrick e Carina Amâncio, de Santa Catarina. De concreto, agora, só o plano de trocar a rotina comum para desbravar o mundo sobre quatro rodas, sem endereço fixo ou previsão de volta. Eles compartilham a experiência por meio do Kwai, aplicativo de criação e compartilhamento de vídeos curtos, por meio do projeto Rotas Recalculadas, que soma mais de 130 mil seguidores. "Queremos mostrar que é possível viver na simplicidade - seja para resolver problemas ou ter outras perspectivas", comenta Carina.

Custos e desempenho

Desde que saíram de casa, Wellington e Carina já rodaram mais de 24 mil km, e queimaram em torno de 1,5 mil litros de diesel, um gasto médio mensal de R$ 4 mil. Para a construção do veículo, o casal desembolsou quase R$ 300 mil.

Indústria de motorhomes vê alta nas vendas e mudança no perfil de viajantes

A construção dos motorhomes inclui diversos sistemas que tornam o veículo muito mais confortável e autônomo, como aquecedor de água e placas solares de 100 watts, por exemplo. A Estrella Mobil garante que um dos seus novos modelos movidos a diesel, o Comet, montado em chassi Citroen Jumpy, chega a 17km/l, com capacidade para até quatro pessoas.

Com informações da Engaje!Comunicação e RPMA Comunicação / Fotos de Engaje!Comunicação, Estrella Mobil Motorhomes e Rotas Recalculadas

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça o debate. Siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, no Twitter, no Pinterest, no Instagram, LinkedIn e YouTube.

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais