Dívidas afetam 255 mil famílias em São Luís, diz Fecomércio-MA

Famílias com maior poder aquisitivo têm apresentado aumento do nível de endividamento, que segue em patamar elevado na capital: 82,3%.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Maranhão (Fecomércio-MA) aponta que, em setembro de 2021, e pelo sexto mês seguido, o percentual de famílias de São Luís endividadas registrou queda - de 2,6% em comparação a agosto e de 7% em relação a janeiro -, mas ainda permanece em patamar bastante elevado: 82,3% das famílias ludovicenses - a média de outras capitais brasileiras é de 74% -, afetando o orçamento de 255 mil delas. O principal vilão continua sendo o cartão de crédito, com 71,4% das dívidas.

A redução do endividamento familiar, segundo a Fecomércio-MA, não se deve pelo aumento do nível de renda mas, sim, da diminuição do nível de consumo familiar que tem desacelerado o endividamento local, cenário já apresentado na Pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) de setembro, que ainda segue na zona de pessimismo.

Dívidas afetam 255 mil famílias em São Luís, segundo a Fecomércio-MA

Famílias que vivem com até 10 salários-mínimos têm reduzido seu nível de endividamento ao longo de 2021, tendo cada vez mais capacidade de quitar as dívidas em atraso. Para o mês de setembro, 8,5% delas declararam não ter condições de pagar suas contas atrasadas. Já aquelas com renda superior a 10 salários-mínimos têm apresentado um aumento do nível de endividamento, puxado pelo crescente custo de vida sem a redução do nível de consumo, o que, segundo a federação, tem levado o indicador geral de endividamento a permanecer acima dos 80% em São Luís.

Mesmo nesta conjuntura, o custo do endividamento pode reduzir nos próximos meses, segundo analisa o presidente da Fecomércio-MA, José Arteiro da Silva. "O custo do crédito pessoal tem estabilizado nestes meses de 2021, e com queda dos 'juros ao consumidor', é possível melhorar o nível de consumo local, com a retomada econômica gradual", diz.

Com informações da Fecomércio-MA

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário e enriqueça o debate. Siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter, Pinterest, TikTok, Instagram, LinkedIn e YouTube.


Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais