‘Retratos Quilombolas’: exposição realça cotidiano em quilombos

Nova exposição do Centro Cultural Vale Maranhão traz a força de territórios quilombolas pelo olhar das fotógrafas Val e Valdira Barros.

O Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM) inaugura, nesta terça-feira (7), a exposição Retratos Quilombolas. Com 51 imagens das fotógrafas Val Barros e Valdira Barros, a exposição aborda o cotidiano de quatro comunidades do interior do Maranhão por meio de retratos que transmitem a expressividade do autorreconhecimento enquanto quilombola.

A exposição é composta por um conjunto de imagens de moradores dos quilombos, em preto e branco, feitos por Val exclusivamente para a mostra, e registros da experiência de Valdira durante projetos de Capoeira Angola, desenvolvidos pelo Centro Cultural Mandingueiros do Amanhã. As comunidades presentes são Vila Fé em Deus, Santa Luzia, Santa Maria dos Pretos e Santa Joana.

‘Retratos Quilombolas’: exposição destaca cotidiano em quilombos maranhenses

Para Val Barros, a exposição convida ao encontro com pessoas, almas e paisagens. "É um diálogo de olhares: o olhar de quem fotografou, o olhar de quem vê e o olhar de quem é visto. São o testemunho de semblantes que possuem uma força transmutada no desejo de preservação de territórios e identidades particulares", conta a fotógrafa, que produziu os retratos utilizando equipamento fotográfico analógico, e assina a curadoria da exposição.

As 15 fotografias de Valdira Barros exaltam a complexidade da vida quilombola e os aprendizados adquiridos durante o trabalho do Mandingueiros do Amanhã nas comunidades. "Essas fotografias são o registro da relação de afetividade e compromisso mútuo que estabelecemos com essas pessoas. Acreditamos que, de algum modo, esse trabalho contribui para que a sociedade procure conhecer mais os quilombos brasileiros e, por consequência, nossa história".

‘Retratos Quilombolas’: exposição destaca cotidiano em quilombos maranhenses

Em cartaz até 9 de abril de 2022, a exposição pode ser visitada no CCVM de terça a sábado, das 10h às 13h e das 14h às 19h, exceto em feriados. E mantendo o formato adotado durante a pandemia de covid, a exposição também tem uma versão virtual.

Com informações do CCVM / Fotos: Valdira Barros/Val Barros, via CCVM (cortesia)

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário. Siga o Blog do Maurício Araya no Twitter, Facebook, Pinterest, TikTok, Instagram, LinkedIn e YouTube.


Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais