Pandemia mudou hábitos de higiene de brasileiros, diz pesquisa

Pesquisa realizada pela Xlear mostra que 50% da população afirmam que manterão álcool em gel sempre por perto, mesmo após o fim da pandemia de covid.

A pandemia de covid mudou hábitos do nosso cotidiano, e, no Brasil, essa transformação foi medida por uma pesquisa inédita: 64% dos brasileiros pretendem manter a lavagem das mãos; 50%, o uso do álcool em gel mesmo após o fim da pandemia; e mais de 60% vão continuar tomando mais de dois banhos por dia, independente dos protocolos de saúde.

O levantamento, feito por meio de questionário on-line, contou com mais de 2,4 mil entrevistados no Brasil, México, Colômbia e Argentina. Nos outros países, a principal preocupação dos entrevistados é com a higiene básica pós-pandemia: 73% dos mexicanos manterão hábitos de higiene, mesmo após o fim da emergência sanitária; 46% dos argentinos dizem que sempre manterão o álcool em gel por perto; e 41% dos entrevistados evitarão tocar seus narizes e olhos sem ter as mãos limpas no pós-covid. No Brasil, 64% continuarão lavando as mãos regularmente depois de tocar em algo ou alguém.

Pandemia mudou hábitos de higiene de brasileiros, diz pesquisa

Nathan Jones, CEO da Xlear - empresa que encomendou a pesquisa -, acredita que a maioria das pessoas sabe e entende que precisamos lavar as mãos.

Esses dois conceitos são muito simples que, embora os entendamos como importantes hoje, levou centenas de anos para adotar. Sinto que devemos trazer à tona a importância dos hábitos de higiene e começar a aplicá-los em nossas vidas diárias e espero que não demore muito tempo para as pessoas perceberem o quão essencial é lavar os hábitos de higiene

Com informações da Xlear Inc/Sherlock Communications

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário. Siga o Blog do Maurício Araya no Twitter, Facebook, Pinterest, TikTok, Instagram, LinkedIn e YouTube.


Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais