Hubble revela consequências de cataclismo cósmico

Distante 160 mil anos-luz da Terra, objeto - chamado DEM L249 - pode ter sido criado após explosão de uma estrela anã branca, na constelação de Mensa.

Esta imagem feita pelo telescópio espacial Hubble mostra a devastação cósmica provocada por uma supernova, explosão que marca o fim da vida de uma estrela. Acredita-se que este objeto - conhecido como DEM L249 - tenha sido criado após a explosão de uma estrela anã branca.

Embora anãs brancas sejam, geralmente, estáveis, elas podem acumular matéria lentamente se fizerem parte de um sistema estelar binário. Esse acréscimo de matéria continua até que a anã branca atinja uma massa crítica e sofra uma explosão catastrófica, ejetando uma grande quantidade de material no Espaço nesse processo.

Hubble revela consequências de cataclismo cósmico

DEM L249 fica na constelação de Mensa, dentro da Grande Nuvem de Magalhães, uma pequena galáxia-satélite da Via Láctea, a 'apenas' 160 mil anos-luz da Terra.

Essa proximidade faz com que a Grande Nuvem de Magalhães seja um 'laboratório' natural ideal, onde astrônomos podem estudar nascimento, vida e morte de estrelas.

Foto: ESA/Hubble & Nasa, Y. Chu

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário. Siga o Blog do Maurício Araya no Twitter, Facebook, Pinterest, TikTok, Instagram, LinkedIn e YouTube.


Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais