Webb, e as novas perspectivas para a ciência

Registro mostra zona de gás interestelar na Grande Nuvem de Magalhães em detalhes sem precedentes; equipamento permitirá novas descobertas.

Quatro instrumentos científicos do telescópio espacial James Webb já estão alinhados e calibrados. Uma imagem feita recentemente com seu instrumento mais frio, o Mid-Infrared Instrument (Miri), revela todo o potencial do equipamento em fornecer imagens de alta resolução do Universo, e oferecer novas possibilidades para os astrônomos.

Trata-se de um close-up numa zona de gás interestelar na Grande Nuvem de Magalhães, pequena galáxia-satélite da Via Láctea, com detalhes sem precedentes se comparado com a imagem da mesma região feita pelo telescópio espacial Spitzer.

Webb, e as novas perspectivas para a ciência

A capacidade de mostrar o céu infravermelho com maior clareza permitirá novas descobertas sobre nascimento de estrelas e sistemas protoplanetários - que orbitam de torno de uma estrela recém-formada, e que podem ajudar a responder uma pergunta que sempre intrigou os cientistas: existe vida fora da Terra?

Fotos: Nasa/JPL-Caltech (Spitzer/esquerda) e Nasa/ESA/CSA/STScI (Miri/direita)

Leia outros destaques do Blog do Maurício Araya. Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário. Siga o Blog do Maurício Araya no Twitter, Facebook, Pinterest, TikTok, Instagram, LinkedIn e YouTube.


Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais