Satélite mostra Sharm El-Sheikh, palco da COP27, vista do espaço

Impressionante registro em cores reais mostra Golfo de Aqaba alimentando Mar Vermelho; cidade reuniu representantes de 200 países para discutir clima.

Líderes mundiais, formuladores de políticas e delegados de quase 200 países se reuniram em Sharm El-Sheikh, no Egito, nas últimas duas semanas na COP27 da Cúpula do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU). Neste registro, você consegue observar mais de perto a cidade egípcia por meio das lentes do satélite Copernicus Sentinel-2.

Sharm El-Sheikh é uma cidade turística egípcia na ponta sudeste da Península do Sinai, na faixa costeira ao longo do Mar Vermelho. O litoral é pontilhado de restaurantes, bares e resorts. Esta impressionante imagem em cores reais mostra o Golfo de Aqaba no canto superior direito, alimentando o Mar Vermelho - lar de algumas das águas marinhas mais quentes e salgadas do mundo.

Satélite mostra Sharm El-Sheikh, palco da COP27, vista do espaço
Impressionante registro em cores reais mostra Golfo de Aqaba alimentando Mar Vermelho; cidade reuniu representantes de 200 países para discutir clima - explore a imagem em alta qualidade
Copernicus Sentinel/ESA

O Mar Vermelho está conectado ao Mar Mediterrâneo por meio do Canal de Suez - não visível nessa imagem -, uma das vias navegáveis mais movimentadas do mundo.

A área oferece muitas oportunidades para mergulho. Uma série de recifes de corais, que abrigam uma rica vida marinha, podem ser facilmente vistos na imagem. As variações na cor da água ao redor das ilhas e à direita da imagem representam a profundidade da água. As áreas mais claras mostram águas mais rasas do que a vasta extensão de azul/turquesa profundo.

Nas últimas duas semanas, os líderes mundiais estão discutindo ações para enfrentar as mudanças climáticas na COP27. Com o planeta a caminho de um aquecimento de 2,4°C a 2,6°C (em relação aos níveis pré-industriais) e alertas da ONU sobre uma futura catástrofe , o foco central da conferência tem sido limitar as futuras emissões de gases do efeito estufa e abordar as perdas e danos resultantes das consequências inevitáveis das mudanças climáticas.

Como observador oficial da COP27, representantes da Agência Espacial Europeia (ESA) têm participado ao longo do evento para destacar o valor das observações baseadas no espaço, não apenas para a compreensão científica do clima e como melhorar as previsões de mudanças futuras, mas também para provar como os dados espaciais podem apoiar compromissos assumidos na COP.

A ESA também mostrou como o uso crescente de dados de satélite está permitindo que a comunidade global tome medidas climáticas e acompanhe o progresso em relação aos compromissos assumidos nacionalmente para limitar o aquecimento global consagrados no Acordo de Paris.

O satélite Copernicus Sentinel-5P provou ser crucial na implementação da ambiciosa iniciativa do Sistema de Alerta e Resposta de Metano (Mars). O projeto visa ampliar os esforços globais para detectar e agir sobre as principais fontes de emissões e acelerar a implementação do Compromisso Global do Metano.

Por meio do seu projeto de avaliação e processos do ciclo de carbono regional (RECCAP-2), a Iniciativa de Mudanças Climáticas da ESA é pioneira em pesquisas sobre como usar dados espaciais para melhorar estimativas de fluxos de superfície entre a atmosfera, terra e oceano para comparar com estimativas em escala nacional.

Com informações da ESA

Gostou do conteúdo do Blog do Maurício Araya? Leia nossos outros destaques. Contribua com o debate: deixe seu comentário. E siga acompanhando tudo o que é publicado aqui por meio do Google Notícias, Twitter, Facebook, Pinterest, TikTok, Instagram, LinkedIn e YouTube.



Siga nas redes sociais

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais