Itaqui: IFMA Alcântara prevê impactos de mudanças no clima no aporte de sedimentos

Projeto de pesquisa vai durar dois anos e foi aprovado em segundo lugar, dentre 20 finalistas do edital lançado pela Emap e Fapema.

Quantificar a produção de sedimentos que chegam ao Porto do Itaqui por meio das bacias hidrográficas, de forma a traçar vários cenários futuros propostos para os próximos 50 anos e evitar futuros problemas: essa é a proposta do trabalho de pesquisa Modelagem e projeção de cenários de impacto das mudanças climáticas e uso da terra sobre os processos hidrossedimentológicos no Porto do Itaqui.

O projeto de pesquisa, coordenado pelos professores do campus Alcântara do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Elisabeth Alves Cavalcanti (doutora em desenvolvimento e meio ambiente/UFPE) e Francisco Jadilson dos Santos Silva (doutor em engenharia elétrica e de computação/UFRN) conquistou o segundo lugar geral entre cerca de 20 finalistas de outras instituições maranhenses, na concorrência ao edital nº 12/2022 de apoio a pesquisas no Porto do Itaqui, aberto pela Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) e Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema).

Itaqui: IFMA Alcântara prevê impactos de mudanças no clima no aporte de sedimentos
Itaqui: IFMA Alcântara prevê impactos de mudanças no clima no aporte de sedimentos
Divulgação

O campus Alcântara foi o único, de toda a rede IFMA, a aprovar projeto no edital e vai contar com um financiamento de quase R$ 700 mil para custeio e investimentos. Por meio do projeto, serão adquiridos diversos equipamentos como notebooks, drones, estação meteorológica, medidores de qualidade da água, softwares, dentre outros equipamentos que poderão ser utilizados tanto por professores quanto por estudantes.

O projeto terá a duração de dois anos e tem potencial para o estabelecimento de futuras parcerias entre o IFMA, o Porto do Itaqui e a Fapema. A pesquisa, que também inclui bolsa de pós-doutorado, terá a colaboração de consultores de outros Estados do Brasil e do Canadá, que auxiliarão no encaminhamento da investigação. Esse é um fator que poderá estabelecer um elo com pesquisadores e instituições do restante do Brasil e de outros países, diante da perspectiva de internacionalização do projeto.

Serão traçados cenários futuros propostos nas projeções sobre as mudanças climáticas realizadas pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês). Além do clima, também será levada em consideração as modificações do uso da terra nas últimas décadas e como isso contribuiu para o aporte de sedimentos, com base na modificação do uso da terra ocorridos de 1985 até hoje.

O diretor-geral do campus, professor Jorge Renato Silva, considerou o resultado de grande relevância para o campus Alcântara e para o IFMA como instituição que prima pelo ensino, pesquisa e extensão. "Isso demonstra a qualidade do nosso corpo docente, concorrendo, em termos de projeto, com as demais instituições de ensino do Maranhão em condição de qualidade e competitividade. Essa é uma ação muito importante e merece destaque em toda a rede IFMA, pois demonstra o comprometimento da instituição com a realização de novas parcerias e com o desenvolvimento do Estado", avalia.

Com informações do IFMA

Gostou do conteúdo do Blog do Maurício Araya? Leia outros destaques do blog. Contribua com o debate: deixe seu comentário. E siga acompanhando tudo o que é publicado por meio do Google Notícias, Mastodon, Twitter, Facebook, Pinterest, TikTok, Instagram, LinkedIn e YouTube.



Siga nas redes sociais

Sobre o autor: Jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais