Siga os canais do Blog do Maurício Araya

Cidade amazônica: a São Luís de Mobi em exposição inédita

Nova exposição do Centro Cultural Vale Maranhão apresenta panorama da obra do fotógrafo maranhense Mobi; mostra fica em cartaz até junho.

O Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM) abre ao público nesta terça-feira (14), às 19h, a exposição Renunciar / Mobi. Ao todo, são 300 fotos escolhidas para compor a mostra inédita sobre o trabalho do fotógrafo maranhense Luiz Gonzaga Araújo Frazão, o Mobi, que documentou a cidade de São Luís dos anos 1970 aos 2000. A curadoria é de Gabriel Gutierrez, diretor do CCVM - veja a agenda completa de eventos e exposições em São Luís.

A exposição apresenta a obra de Mobi em três linhas narrativas: a cidade oficial, berço das transformações urbanas e mobilizações políticas; a cidade marginal, que, embora esquecida, constitui os alicerces para seu funcionamento maior; e as pessoas, agentes que constroem, transformam, assistem e habitam os espaços urbanos.

Cidade amazônica: a São Luís de Mobi em exposição inédita
Cidade amazônica: a São Luís de Mobi em exposição inédita
CCVM (cortesia)

O acervo utilizado para compor a exposição pertence ao Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e foi digitalizado pelo CCVM. Ao todo 5 mil fotos foram pesquisadas.

"Mobi foi um fotógrafo que esteve à margem do que foi amplamente exposto, publicado e divulgado. Ele documentou o que podemos chamar de 'cidade amazônica', que é uma cidade complexa, que não cabe nos moldes que estamos habituados a conceber e construir. O trabalho é um manifesto sobre a importância do cotidiano e do humano na conformação e sustentação da urbanidade específica. Por trás dos grandes feitos, são as pessoas que, em profundidade psicológica e de experiência, miram-se nesse grande espelho", conta Gabriel.

Mobi fotografou a rua, as praças, os edifícios, os bichos e o que encontrava enquanto cidadão, sujeito popular, de São Luís, e revelou a oposição flagrante própria desse espaço urbano

Gabriel Gutierrez, diretor do CCVM e curador da exposição

Entre as fotografias expostas, destacam-se a cobertura jornalística de momentos políticos como as visitas de Ulysses Guimarães, Teotônio Vilela e Luiz Inácio Lula da Silva ao Maranhão, além do registro de importante figuras maranhenses, como a médica Maria Aragão, o mímico Gilson César e a cordelista e poetisa Raimunda Frazão, com quem Mobi viveu e trabalhou por 17 anos.

Complementando a exposição, o documentário inédito dirigido pelo cineasta Beto Matuck apresenta Mobi pelos depoimentos e reações de amigos e de Raimunda, que mergulharam no universo fotográfico do artista, desconhecido até por quem fazia parte de seu ciclo.

Renunciar / Mobi fica em cartaz até o dia 3 de junho. O CCVM fica localizado à rua Direita, nº 149, Centro Histórico de São Luís. A programação é gratuita.

Com informações do CCVM

Blog do Maurício Araya

Gostou do conteúdo do Blog do Maurício Araya? Leia outros destaques. Contribua com o debate, deixe seu comentário.

Siga as atualizações por meio dos canais no WhatsApp e Telegram; Google Notícias; e perfis nas redes sociais Threads, Bluesky, Mastodon, Tumblr, Facebook, Instagram, Pinterest e LinkedIn.

Sobre o autor: Maurício Araya é jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e g1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais

Comente o conteúdo