Siga os canais do Blog do Maurício Araya

Mostra de documentários abre mês de março no CCVM

Produções maranhenses aprovadas no edital Ocupa CCVM compõem programação; identidade e memória estão entre temas abordados.

A partir desta quarta-feira (1º), e até sábado (4), sempre às 19h, o Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM) exibe a Mostra Ocupa CCVM. O evento apresenta em sua programação os filmes selecionados no edital Ocupa CCVM Audiovisual, realizado em 2022. Ao todo, 11 documentários receberam recursos para serem produzidos ou finalizados, e englobam uma diversidade de temas como cultura popular, artistas maranhenses da cena queer, diversidade religiosa e cultura afro - veja a agenda completa de eventos em São Luís.

Entre os destaques, o média-metragem Vôs do Munim, dirigido pela artista Claudia Marreiros, provoca um debate sobre a relevância da oralidade no processo de identidade e memória, partindo do ponto de vista de uma neta que não conheceu seus avós e segue em busca de suas referências identitárias. Neste trajeto, ao deparar-se com avós contemporâneos aos seus, encontra na musicalidade a conexão com a miscigenação que deu origem ao que hoje se conhece como região do Munim, no interior do Maranhão. O filme abre a mostra no dia 1º de março.

Mostra Ocupa CCVM abre programação do mês de março no Centro Cultural Vale Maranhão
Mostra Ocupa CCVM abre programação do mês de março no Centro Cultural Vale Maranhão
CCVM (cortesia)

O documentário Akomabu - a cultura não deve morrer, dirigido por Helen Maria e Juliana Hadad, apresenta a história do Akomabu, primeiro bloco afro do Maranhão nascido no início da Década de 80, contada por meio dos depoimentos de fundadores e brincantes, que revelam lembranças, alegrias, tristezas e, principalmente, o desejo de perpetuar a tradição. Tem batom no reggae, do diretor Paulo do Vale, traz a história de luta e resistência das DJs Sandra Marley, Tassila de Paula e Nega Glícia no movimento reggaeiro maranhense, dominado pela figura masculina nos salões.

A Mostra Ocupa CCVM também apresenta importantes registros de manifestações nunca documentadas, como o Bumba Meu Boi Chegou Cravo das Moças, do município de Tutóia, e a segunda etapa do festejo de São Raimundo Nonato dos Mulundus, realizada mais distante da cidade de Vargem Grande. Os documentários são dirigidos por Reinilda Oliveira e Laécio Fontenele, respectivamente.

Além das sessões, haverá bate-papo com os diretores ao fim das exibições. Toda a programação é gratuita. O CCVM fica localizado na rua Direita, nº 149, Centro Histórico de São Luís.

Programação completa da Mostra Ocupa CCVM

Quarta-feira, 1º de março

  • Cazumbando, de Origes com direção de Ingrid Barros;
  • Vôs do Munim, de Claudia Marreiros.

Quinta-feira, 2 de março

  • Corparte, de Nebraska Diamond;
  • Até tua mãe me recomenda, de Lucas Sá;
  • Tem batom no reggae, de Paulo do Vale.

Sexta-feira, 3 de março

  • Akomabu - a cultura não deve morrer, de Helen Maria e Juliana Hadad;
  • Santo Vaqueiro, de Laécio Fontenele;
  • Banzeiro e Maresia, de Pablo Monteiro.

Sábado, 4 de março

  • Do ringue aos palcos, de Ricardo Pereira;
  • O jogo da navalha, de Roberto Pereira;
  • Chegou Cravo das Moças, de Reinilda Oliveira.

Com informações do CCVM

Blog do Maurício Araya

Gostou do conteúdo do Blog do Maurício Araya? Leia outros destaques. Contribua com o debate, deixe seu comentário.

Siga as atualizações por meio dos canais no WhatsApp e Telegram; Google Notícias; e perfis nas redes sociais Threads, Bluesky, Mastodon, Tumblr, Facebook, Instagram, Pinterest e LinkedIn.

Sobre o autor: Maurício Araya é jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e g1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais

Comente o conteúdo