Siga os canais do Blog do Maurício Araya

Programa que conecta meninas e tecnologia tem inscrições abertas

Em 2022, programa on-line e gratuito impactou mais de mil meninas na América Latina.

O Mercado Livre lança mais uma edição do Conectadas, programa gratuito que promove uma imersão digital de meninas em temas de tecnologia. Realizada em parceria com a {reprograma}, uma iniciativa de impacto social com foco em ensinar programação para mulheres em situação de vulnerabilidade social e econômica, o Conectadas já permitiu que mais de 2,58 mil jovens mergulhassem no universo da tecnologia. Esse programa busca aproximar meninas do ecossistema tecnológico e fornecer ferramentas e autoconfiança para que elas criem soluções inovadoras para os desafios que identificam nas suas comunidades, tudo isso por meio da educação, um poderoso vetor de transformação social que ainda impulsiona a diversidade, inclusão e a equidade. As inscrições para esta edição vão até o dia 7 de abril de 2023, e não há necessidade de conhecimento prévio na área.

Implementado desde 2021 no Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Colômbia, México e Peru, o Conectadas oferece uma imersão digital que totaliza 54 horas. Ao longo de 16 encontros 100% on-line, são abordados conteúdos de transformação digital, economia 4.0, sustentabilidade, design da experiência do usuário, análise de dados, desenvolvimento de projetos e negócios digitais, marketing, comunicação digital e introdução a HTML. Durante o programa, ocorre ainda o acompanhamento de mentoras do Mercado Livre e da {reprograma}, permitindo ainda a essas meninas conhecer e se conectar com mulheres que já atuam neste segmento.

Programa que conecta meninas e tecnologia tem inscrições abertas
Programa que conecta meninas e tecnologia tem inscrições abertas
Christina Morillo/Pexels

"Como empresa de tecnologia, temos exercitado cada vez mais como podemos democratizar oportunidades por meio da educação, sobretudo em um segmento onde as mulheres ainda são minoria. Dados da Unesco revelam que, aos 15 anos, apenas 0,5% das mulheres no mundo todo buscam se tornar profissionais de ciência e tecnologia, contra 5% dos homens", afirma Laura Motta, gerente sênior de sustentabilidade do Mercado Livre no Brasil. "Há mais de dois anos o Conectadas oferece uma oportunidade real para que cada vez mais meninas descubram as possibilidades da tecnologia para suas vidas e para a melhoria da qualidade de vida das comunidades onde vivem", completa.

Em 2023, o Conectadas pretende atingir 1,3 mil meninas em seis países. No Brasil, serão 150 vagas somente no primeiro semestre. Meninas de escolas públicas ou bolsistas de escolas particulares têm prioridade e o programa espera ter pelo menos 50% de jovens pretas, pardas e indígenas, além de estimular a participação de jovens mulheres trans e travestis. Uma das novidades da edição deste ano é a oferta de algumas bolsas de estudo para o projeto de formação mais longo em Back-end Python, desenvolvido pela {reprograma}.

"A grande novidade no Conectadas este ano é que, diferente dos anteriores, remodelamos o conteúdo pragmático e teremos uma matéria específica de introdução à programação. Isso é importante, pois muitas alunas terão a oportunidade de fazer parte das nossas turmas de desenvolvedoras, e o Conectadas será o primeiro contato dessas meninas com a programação, sendo um grande passo para reduzir o gap de gênero no mercado de tecnologia", destaca Carla De Bona, cofundadora e diretora de ensino da {reprograma}.

Com informações do Mercado Livre/Edelman

Blog do Maurício Araya

Gostou do conteúdo do Blog do Maurício Araya? Leia outros destaques. Contribua com o debate, deixe seu comentário.

Siga as atualizações por meio dos canais no WhatsApp e Telegram; Google Notícias; e perfis nas redes sociais Threads, Bluesky, Mastodon, Tumblr, Facebook, Instagram, Pinterest e LinkedIn.

Sobre o autor: Maurício Araya é jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e g1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais

Comente o conteúdo