Siga os canais do Blog do Maurício Araya

CCBB apresenta mostra inédita ‘El Camino’, em São Paulo

Mostra gratuita ocorre de 12 de julho a 7 de agosto; são 19 títulos que apresentam um apanhado histórico de ‘road movies’.

O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) em São Paulo apresenta a mostra inédita El Camino - Cinema de viagem da América do Sul, de 12 de julho a 7 de agosto, com um apanhado histórico de road movies, realizados na região sul do continente americano desde a Década de 1960 até os dias atuais. Toda programação é gratuita - com ingressos disponíveis pela internet e na bilheteria -, e inclui uma oficina presencial, além de um catálogo on-line.

Com a curadoria de Carla Italiano e Leonardo Amaral, e produção da Anacoluto Produções, a programação reúne 19 títulos, sendo 15 longas e 4 curtas, realizados em nove países: Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Peru, Bolívia, Chile, Colômbia e Venezuela, pensada a partir de 5 linhas de força que permitem criar agrupamentos entre os filmes exibidos. A primeira linha reúne obras realizadas a partir da Década de 1960 que lidam de forma fílmica com as contraditórias ideias de povo e nação como Vidas Secas, Iracema - Uma Transa Amazônica (Brasil), Os Inundados (Argentina), Os Vampiros da Miséria (Colômbia) e A Dupla Jornada (Brasil).

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo apresenta a mostra inédita El Camino - Cinema de Viagem da América do Sul: mostra gratuita ocorre de 12 de julho a 7 de agosto; são 19 títulos que apresentam um apanhado histórico de road movies, realizados no sul do continente americano
Mostra gratuita ocorre de 12 de julho a 7 de agosto; são 19 títulos que apresentam um apanhado histórico de road movies, realizados no sul do continente americano
Reprodução

A segunda traz o drama de indivíduos em relação a representações de coletivo em suas diversas raízes étnicas e políticas, como em Noites Paraguayas (Brasil/Paraguai), A Nação Clandestina (Bolívia), A Terra Prometida (Chile), Pachamama (Brasil/Bolívia/Peru) e Carlos: cine-retrato de um andarilho em Montevidéu (Uruguai). O terceiro grupo recorre aos recursos do cinema fantástico e jornadas psicológicas, reconfigurando não só as cartografias de territórios, como a própria noção de identidade: Brasil Ano 2000, Sonhos de Gelo (Chile), A Viagem (Argentina) e As Filhas do Fogo (Argentina).

O quarto grupo pensa trajetórias transnacionais de povos originários por meio de recriações de territórios indígenas perdidos, algo evidente em Serras da Desordem, Tava - A Casa de Pedra (Brasil) e Zama (Argentina). Por fim, a quinta linha traz questões fruto dos processos coloniais da diáspora africana e agrupa curtas de teor auto representativo que fazem viagens rumo ao continente africano, é o caso de NoirBlue e (Outros) Fundamentos (Brasil).

Além das sessões, El Camino - Cinema de Viagem da América do Sul conta com algumas atividades paralelas: a apresentação da mostra pelos curadores Carla Italiano e Leonardo Amaral - seguida do filme de abertura Noites Paraguayas (1982), no dia 12 de julho, às 17h; a apresentação de A Nação Clandestina, pela montadora e cineasta Cristina Amaral, em 15 de julho, às 15h; sessão comentada do filme A Viagem (1992), no dia 28 de julho, às 16h, seguida de debate com o crítico e pesquisador João Toledo; e a oficina Outras viagens ao país do povo: deslocamentos estético-políticos no cinema latino-americano, que ocorre no dia 22 de julho, das 13h30 às 17h, ministrada pelo crítico de cinema, programador e professor, Victor Guimarães.

Ao realizar este projeto, o CCBB reafirma o compromisso de ampliar a conexão do brasileiro com a cultura e com a promoção do acesso à produção cinematográfica nacional e internacional.

Outras informações sobre a mostra podem ser obtidas pelo telefone (11) 4297-0600.

Programação da mostra El Camino - Cinema de Viagem da América do Sul

Quarta-feira, 12 de julho

  • 17h (abertura) - Noites Paraguayas (90', Aloysio Raulino, 1982, Brasil/Paraguai), 14 anos; com apresentação da curadoria por Carla Italiano e Leonardo Amaral.

Quinta-feira, 13 de julho

  • 17h - Os Vampiros da Miséria (29', Luis Ospina, Carlos Mayolo, 1978, Colômbia), 14 anos; e Sonhos de Gelo (58', Ignacio Agüero, 1993, Chile), 14 anos.

Sexta-feira, 14 de julho

  • 17h (Outros) Fundamentos (16', Aline Motta, 2019, Brasil), 10 anos; NoirBlue - Deslocamentos de uma dança (27', Ana Pi, 2018, Brasil), 12 anos; A Dupla Jornada (53', Helena Solberg, 1975, Arg/Bol/Mex//Ven), 12 anos.

Sábado, 15 de julho

  • 15h - A Nação Clandestina (128', Jorge Sanjinés, 1989, Bolívia), 12 anos.

Domingo, 16 de julho

  • 14h - Serras da Desordem (135', Andrea Tonacci, 2006, Brasil), 14 anos.

Segunda-feira, 17 de julho

  • 17h - A Terra Prometida (120', Miguel Littin, 1973, Chile), 12 anos.

Quarta-feira, 19 de julho

  • 17h - Vidas Secas (115', Nelson Pereira dos Santos, 1963, Brasil), 10 anos.

Quinta-feira, 20 de julho

  • 17h30 - Carlos: Cine-retrato de um andarilho em Montevidéu (31', Mario Handler, 1967, Uruguai), 12 anos; Os Vampiros da Miséria (29', Luis Ospina, Carlos Mayolo, 1978, Colômbia), 14 anos.

Sexta-feira, 21 de julho

  • 16h30 - Brasil Ano 2000 (95', Walter Lima Jr., 1969, Brasil), 14 anos.

Sábado, 22 de julho

  • 13h30 - Oficina Outras viagens ao país do povo: deslocamentos estético-políticos no cinema latino-americano com Victor Guimarães (professor e pesquisador), Livre - necessária a inscrição prévia.

Domingo, 23 de julho

  • 11h - Os Inundados (87', Fernando Birri, 1961, Argentina), 10 anos;
  • 14h30 - Noites Paraguayas (90', Aloysio Raulino, 1982, Brasil/Paraguai), 14 anos.

Segunda-feira, 24 de julho

  • 17h - (Outros) Fundamentos (16', Aline Motta, 2019, Brasil), 10 anos; NoirBlue - Deslocamentos de uma dança (27', Ana Pi, 2018, Brasil), Livre; A Dupla Jornada (53', Helena Solberg, 1975, Arg/Bol/Mex//Ven), 12 anos (acessibilidade: legendas descritivas).

Quarta-feira, 26 de julho

  • 17h - Iracema - Uma Transa Amazônica (Jorge Bodanzky, Orlando Senna, 91', 1975, Brasil), 16 anos.

Quinta-feira, 27 de julho

  • 17h - Os Inundados (87', Fernando Birri, 1961, Argentina), 10 anos.

Sexta-feira, 28 de julho

  • 16h - A Viagem (136', Fernando Solanas, 1992, Argentina), 12 anos; seguido de debate com o crítico e pesquisador João Toledo.

Sábado, 29 de julho

  • 11h - Tava, a Casa de Pedra (78', Ariel Duarte Ortega, Patrícia Ferreira Pará Yxapy, Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho, 2012, Brasil), 10 anos;
  • 14h30 - Zama (115', Lucrecia Martel, 2017, Argentina), 14 anos.

Domingo, 30 de julho

  • 14h30 - A Nação Clandestina (128', Jorge Sanjinés, 1989, Bolívia), 12 anos.

Segunda-feira, 31 de julho

  • 17h - Iracema - Uma Transa Amazônica (Jorge Bodanzky, Orlando Senna, 91', 1975, Brasil), 16 anos.

Quarta-feira, 2 de agosto

  • 17h - As Filhas do Fogo (115', Albertina Carri, 2019, Argentina), 18 anos.

Quinta-feira, 3 de agosto

  • 16h - A Viagem (136', Fernando Solanas, 1992, Argentina), 12 anos.

Sexta-feira, 4 de agosto

  • 16h30 - Pachamama (94', Erik Rocha, 2008, Brasil/Bolívia/Peru), 10 anos.

Sábado, 5 de agosto

  • 15h - A Terra Prometida (120', Miguel Littin, 1973, Chile), 12 anos.

Domingo, 6 de agosto

  • 14h - Vidas Secas (115', Nelson Pereira dos Santos, 1963, Brasil), 10 anos.

Segunda-feira, 7 de agosto

  • 17h - Tava, a Casa de Pedra (78', Ariel Duarte Ortega, Patrícia Ferreira Pará Yxapy, Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho, 2012, Brasil), 10 anos.

Atividades paralelas

Quarta-feira, 12 de julho

  • 17h - Apresentação da mostra pelos curadores Carla Italiano e Leonardo Amaral - seguida do filme de abertura Noites Paraguayas (1982).

Sábado, 15 de julho

  • 15h - Apresentação de A Nação Clandestina pela montadora e cineasta Cristina Amaral.

Sábado, 22 de julho

  • 13h30 às 17h - Oficina Outras viagens ao país do povo: deslocamentos estético-políticos no cinema latino-americano, Livre (ministrante: Victor Guimarães, professor e pesquisador) - inscrições prévias.

Sexta-feira, 28 de julho

  • 16h - Sessão comentada: exibição de A Viagem (1992) seguida de debate com o crítico e pesquisador João Toledo (acessibilidade: Libras).

CCBB/ATTi

Blog do Maurício Araya

Gostou do conteúdo do Blog do Maurício Araya? Leia outros destaques. Contribua com o debate, deixe seu comentário.

Siga as atualizações por meio dos canais no WhatsApp e Telegram; Google Notícias; e perfis nas redes sociais Threads, Bluesky, Mastodon, Tumblr, Facebook, Instagram, Pinterest e LinkedIn.

Sobre o autor: Maurício Araya é jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e g1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais

Comente o conteúdo