Siga os canais do Blog do Maurício Araya

7 possíveis causas da vermelhidão facial, e como se livrar dela

Existem inúmeros motivos que deixam pele com forte rubor facial, uma espécie de ‘blush’ rosado que nada tem a ver com a maquiagem.

Resumo

Vermelhidão facial pode ser causada por fatores ambientaisExposição frequente ao sol, mudanças bruscas de temperatura e até alimentos e bebidas podem estar envolvidos na inflamação que causa a vermelhidão facial.
Mas há casos em que a vermelhidão facial pode ser sintoma de uma doençaHá casos crônicos, de pacientes que são diagnosticados com rosácea.
Cosméticos também podem provocar maior sensibilidade no rostoSensibilidade a alguns ingredientes de cosméticos, dermatite de contato e dermatite seborreica também estão entre as causas.

Durante a aplicação da maquiagem, tudo bem apostar em um blush rosado. Mas quando ele aparece sem ser convidado, é sinal de que algo na sua pele (ou organismo) não anda muito bem. O pior é que tentar se livrar da vermelhidão do rosto em casa pode ser muito frustrante. Para alguns, o rubor, a vermelhidão, aparece quando se sentem envergonhados ou entusiasmados, como em um treino exaustivo. Existem também manchas rosa ou escarlate mais intrigantes que aparentemente surgem do nada - e permanecem por muito mais tempo do que você gostaria. Para saber como tratar, é fundamental procurar um dermatologista, que vai identificar a causa da vermelhidão. É importante pontuar que a pele, quando fica avermelhada, pode estar mais irritada, sensível e suscetível aos danos ambientais. Então é necessário tratar, explica a doutora Ana Maria Pellegrini, dermatologista integrante da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e responsável técnica da clínica Pelle.

Mas, afinal, quais são as causas mais comuns de vermelhidão no rosto? De hábitos de vida a coisas totalmente fora do seu controle, há muitos suspeitos usuais (e possíveis soluções) quando se trata de manchas rosadas ou rubor não tão sutil. A própria exposição ambiental - e não só ao sol como também à poluição - pode ser um causador da vermelhidão e irritação, destaca a médica.

Exposição frequente ao sol

Nenhuma surpresa até aqui: exposição ao sol sem a devida proteção leva a uma queimadura solar desagradável, representada pela vermelhidão na pele. Mesmo a exposição moderada ao sol, no entanto, pode deixar sua pele com um tom rosado. Isso ocorre porque, com o tempo, a exposição aos raios UV pode destruir o colágeno, a elastina e outras estruturas do nosso corpo que ajudam a sustentar a pele. E, em resposta a esse dano, os vasos sanguíneos dilatam-se (ou alargam-se) para trazer fluxo de sangue para a área, explica a dermatologista.

E após vários casos de exposição UV desprotegida, esses vasos sanguíneos (ou capilares) podem ficar muito danificados e ter mais dificuldade em se contrair novamente, o que pode levar a um rubor mais persistente a longo prazo, diz. Para tratar queimaduras ou bolhas mais graves, você pode obter alívio imediato com hidratantes com ingredientes calmantes como aloe vera ou calamina, completa a doutora Ana.

Mas, como tudo na vida, o melhor remédio é a prevenção: Use protetor solar diariamente. Esse produto deve ter FPS de no mínimo 30 e ser reaplicado a cada duas horas em exposição direta, orienta a médica.

Mudanças extremas de temperatura

Mudar repentinamente de seu escritório frio e com ar-condicionado para um ambiente externo quente e úmido - ou deixar sua casa quente e ser atingido por uma rajada de vento gelado de inverno... Essas são situações em que o ‘choque térmico’ com a mudança brusca de temperatura pode fazer com que seu rosto fique vermelho, segundo a dermatologista.

Resumindo, seus vasos sanguíneos se ajustam a essas mudanças expandindo-se (vasodilatação) ou contraindo-se (vasoconstrição) para regular a temperatura interna do corpo e evitar situações terríveis, como superaquecimento ou congelamento. Quando o corpo fica subitamente mais quente (por causa do sol, de um aquecedor interno ou de um treino intenso, talvez), os vasos sanguíneos na superfície da pele se expandem para liberar um pouco desse calor e resfriá-lo - o que pode fazer com que você pareça mais ‘corado’. Se você experimentar o oposto - passar de um ambiente quente para um ambiente frio - seus vasos sanguíneos se contraem para minimizar a perda de calor. Essa mudança repentina na circulação também pode levar temporariamente a rubor ou vermelhidão, explica a dermatologista.

A boa notícia é que, nesses casos, a vermelhidão desaparecerá naturalmente à medida que o corpo se ajustar ao novo ambiente. Manter a pele hidratada também ajuda.

Alimentos e bebidas

O que você ingere na sua dieta pode realmente afetar sua pele - pelo menos temporariamente. Por exemplo, o álcool (ou mais especificamente, uma substância química chamada acetaldeído) dilata os vasos sanguíneos. Essa resposta de vasodilatação pode causar vermelhidão na pele - e é por isso que suas bochechas podem ficar meio quentes ou coradas depois de tomar algumas doses de tequila, explica Ana Maria Pellegrini.

Da mesma forma, explica a dermatologista, qualquer coisa picante que contenha capsaicina (um composto encontrado na pimenta e nos molhos picantes) pode não apenas fazer você buscar desesperadamente um copo de água, mas também pode desencadear uma resposta inflamatória na pele que pode causar vermelhidão e contribuir para surtos de rosácea (que é outra causa da vermelhidão). Qualquer rubor resultante de uma taça de vinho ou uma comida mais apimentada é de curta duração, mas se for algo que te preocupa, tente não sobrecarregar, diz.

Genética e ‘gatilhos’ ambientais - como clima e exposição ao sol, por exemplo - podem causar vermelhidão facial
Freepik

Rosácea

Se seu rosto está em modo de rubor permanente, você pode estar lidando com algo crônico: uma doença inflamatória chamada rosácea. Embora os especialistas ainda não saibam a causa exata, a genética, juntamente com os gatilhos ambientais (como certos alimentos, clima, exercícios e exposição ao sol) podem deixar a pele de algumas pessoas vermelha, com sensação de queimação, ardência ou coceira. Na rosácea tipo 2 (um subtipo da doença), espinhas, pústulas e/ou pápulas inflamadas que não respondem aos tratamentos típicos da acne também fazem parte do problema, destaca. Pessoas com rosácea também tendem a ter pele muito sensível, por isso são muito mais propensas a desenvolver irritações ou reações alérgicas a produtos comuns para a pele, completa.

A rosácea é crônica e não existe cura conhecida que possa manter o rubor afastado para sempre. Dito isto, existem algumas maneiras de reduzir a frequência dos surtos e aliviar os sintomas desconfortáveis da doença. Evitar gatilhos comuns, como luz solar excessiva, alimentos picantes ou vinho tinto pode ajudar. Tratamentos anti-inflamatórios, recomendados pelo médico, também controlam o problema, explica. Em consultório, podemos tratar os sintomas com lasers, que podem aquecer a hemoglobina (ou pigmento) nos vasos sanguíneos e reduzi-los com o tempo, sugere.

Sensibilidade a ingredientes tópicos

Existem diversos ativos que são especialmente indicados para controlar um problema, por exemplo o peróxido de benzoíla e o ácido salicílico para acne, mas podem ser fortes demais para algumas pessoas, causando... a vermelhidão.

Muitos desses ingredientes agressivos podem causar vermelhidão ao remover a barreira de hidratação, a camada externa protetora da pele, que retém a hidratação e mantém afastados alérgenos irritantes, bactérias nocivas e poluentes. Uma vez que essa barreira seja comprometida, seu rosto pode se tornar mais suscetível ao ressecamento (por meio da perda de água), sensibilidade e irritação. Ingredientes fortes como retinóides, beta-hidroxiácidos (BHAs) ou peelings químicos podem ser incluídos na lista, diz a médica.

Para tratar, ela recomenda substituir produtos de limpeza por versões mais suaves e apostar em hidratantes que contenham ingredientes calmantes, como a niacinamida, ceramidas e aloe vera.

Reação alérgica/dermatite de contato

Em geral, dermatite é um termo amplo que se refere à inflamação da pele. A dermatite de contato, especificamente, ocorre quando algo a que sua pele é exposta causa uma irritação simples (no caso de dermatite de contato irritante) ou uma reação alérgica (dermatite alérgica de contato). Se um determinado produto desencadeia dermatite de contato irritante, isso significa que está incomodando fisicamente a barreira da pele. Mais comumente, você sentirá secura, vermelhidão, coceira e descamação após usar o produto problemático. Os possíveis culpados incluem peróxido de benzoíla, ácido salicílico ou fragrâncias adicionadas à fórmula, explica a doutora.

Em contraste, a dermatite alérgica de contato significa que um produto está desencadeando uma resposta do seu sistema imunológico para combater uma ameaça percebida (neste caso, um alérgeno). Sintomas como manchas e coceira podem aparecer um ou dois dias após a exposição, explica a dermatologista. Se você acha que sabe o que causou sua reação alérgica, retire-o de sua vida pelos próximos dias e veja se os sintomas melhoram. Na maioria dos casos, as formas de dermatite de contato resolvem-se sozinhas assim que você parar de usar o produto causador. Mas se você ainda não conseguir identificar a causa, é sempre uma aposta segura consultar um dermatologista, que pode solicitar um teste de alergia ou prescrever cremes corticosteroides tópicos para dermatite de contato irritante, diz.

Dermatite seborréica

A dermatite seborreica é uma forma de eczema que causa erupção na pele com coceira (às vezes vermelha) e descamação da pele. É semelhante à caspa, exceto que também pode aparecer no rosto. Mas, ao contrário dos pequenos flocos do couro cabeludo, a dermatite seborreica também envolve inflamação e inchaço. Os mecanismos exatos por trás dessa condição não são totalmente compreendidos, mas alguns pesquisadores afirmam que é uma reação inflamatória ao crescimento excessivo da levedura malassezia, encontrada em áreas com alta atividade das glândulas sebáceas (oleosas), diz a médica.

Outra distinção importante: os surtos de dermatite seborreica são geralmente irregulares e aparecem principalmente no centro da testa (perto do couro cabeludo), nas sobrancelhas e na região da boca (ou barba). Portanto, se você estiver lidando com bochechas vermelhas, por exemplo, ou erupção no pescoço, a dermatite seborreica pode não ser a razão de sua vermelhidão. O tratamento mais comum é um creme antifúngico prescrito pelo seu médico. No cabelo, um shampoo anticaspa também pode ajudar, desde que contenha propriedades antifúngicas como o cetoconazol, explica.

Por fim, a médica ressalta que, embora alguns dos tratamentos e remédios caseiros possam certamente ajudar a combater um brilho vermelho indesejado, é importante lembrar que a vermelhidão facial pode não desaparecer de um dia para o outro, especialmente se você estiver lidando com algo crônico como a rosácea. Ainda assim, prestar atenção aos seus gatilhos pessoais, incorporar ingredientes calmantes para cuidados com a pele em sua rotina e consultar um dermatologista, se necessário, pode ajudar a garantir que seu rosto não fique tão sensível, finaliza.

Blog do Maurício Araya

Gostou do conteúdo do Blog do Maurício Araya? Leia outros destaques. Contribua com o debate, deixe seu comentário.

Siga as atualizações por meio dos canais no WhatsApp e Telegram; Google Notícias; e perfis nas redes sociais Threads, Bluesky, Mastodon, Tumblr, Facebook, Instagram, Pinterest e LinkedIn.

Sobre o autor: Maurício Araya é jornalista profissional (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para Web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e g1 no Maranhão; e vencedor, por dois anos (2014 e 2015), da etapa estadual do Prêmio Sebrae de Jornalismo, na categoria Webjornalismo. Saiba mais

Comente o conteúdo